A Mágica Papa de Arroz – por Sonia Hirsch

b2308Ela pode ser grossa ou rala, cremosa ou cheia de caldo: não importa, desde que seja de arroz cozido durante quatro a seis horas em fogo muito baixo e panela grossa tampada. Uma parte de arroz, seis partes de água – ou mais – e pronto: eis aí um dos alimentos mais medicinais de que se tem notícia.

Facílima de digerir e de assimilar, fortalece a energia geral (o Chi) e o sangue, harmoniza o meridiano triploaquecedor e ajuda a eliminação de toxinas através da urina. Aí sua única contra-indicação: para pessoas que estejam urinando demais, ou seja, mais de três ou quatro vezes por dia e uma vez à noite, a papa de arroz piora tudo por ser diurética. Fora isso, suas possibilidades medicinais são infinitas devido às combinações que permite. Continuar lendo

Anúncios

Obesidade e Acúmulo

buda Porque comemos obsessivamente? Como a Medicina Chinesa entende as alterações do apetite e da nossa forma? Dicas sobre alimentação, chás, fitoterapia chinesa e acupuntura. Encontro no Consultório, palestra e bate-papo.

Quarta-feira 04/03/15 das 19:30 as 21:30

vagas limitadas

inscrições: ninesh@uol.com.br

confirme sua participação no evento no Facebook https://www.facebook.com/events/377089515809288

Conexão interior

vazio_1

 

Quando estamos bem com nós mesmos, a vida flui mais leve. Percebemos o natural processo de mudança e fluxo constante que caracteriza a Vida e não mais batalhamos para moldar os acontecimentos de acordo com a nossa visão do que seria mais conveniente. Aceitar nossos limites, enxergar nossos entraves, perceber nossa força. Engravidar de si. Um processo que precisa de atenção, cuidado e espaço. As sessões de acupuntura e meditação têm também este papel. Ao mesmo tempo que atuam equilibrando, limpando, colocando nossa energia num fluxo mais harmônico, fornecem o espaço e o momento necessários para favorecer esta conexão interior.

 – Ninesh – 

 

Na corda bamba das emoções

IMG_3712

 

Muitas vezes somos reféns de nossas emoções. Costumamos aceita-las melhor quando nos sentimos alegres ou apaixonados, mas quando a outra cara da moeda se mostra, não gostamos de ser tomados por desequilíbrios passageiros e assim mergulhar em estados de irritabilidade, nervosismo, impulsividade, agressividade, raiva ou frustração.

Para a Medicina Chinesa o Zang (órgão) que cuida do aplainamento das emoções é o Gan (Fígado). Regula a circulação do Qi (Energia), assegurando o fluxo suave do Qi por todo o organismo. Cuida também da regulação do sistema endócrino e dos hormônios, que indiretamente também jogam um papel importante no equilíbrio emocional.

A principal ação da acupuntura é regular as funções internas: equilibrar é a palavra chave. Diminui as alterações da homeostase que estão exageradamente hiperativas e aumenta quando existe deficiência, mediante a liberação de serotonina e dos peptídeos opióides (beta-endorfina, meta-encefalina, e dinorfina), entre outras substancias.

Nosso equilíbrio emocional depende então de um conjunto de fatores neuroendôcrinos, químicos, energéticos, mas principalmete da forma como interpretamos e reagimos as diversas situações do cotidiano. Conhecer a si mesmo, acessar o silêncio interno que nos conecta com a serenidade e a clareza, permite viver a vida de uma forma mais harmônica. Benefícios de fazer um tratamento integral onde acupuntura, moxabustão, massagem, alimentação e meditação se complementam harmonicamente.

– Ninesh – 

Estresse no Final do Ano

tumblr_lcv92oUDck1qawdxmo1_500

Todo ano a história se repete. Chega esta época e o trânsito fica infernal, uma multidão se aglomera nas calçadas, os shoppings, lojas e supermercados  lotam, as pessoas ficam impacientes. Convites para confraternizações, metas no trabalho para cumprir antes do ano acabar, gastos extras, crianças de férias, conflitos familiares exacerbados, discussões sobre onde e com quem passar o Natal, comilanças, excessos de álcool. Um verdadeiro caos.

Para piorar ainda mais, nos consumimos no balanço autocrítico do que queríamos ter feito no ano que passou e que nem chegamos perto. Para os solitários, o peso de ver todo mundo aparentemente feliz nesse mundo plastificado e irreal vendido como um produto de Natal. Ausências de seres queridos que se foram acrescentam um desconforto extra as comemorações. A sensação de estar fora do padrão cria um estresse opressivo.

As obrigações sociais se impõem. O consumismo cobra seu preço. Dizer sim quando queremos dizer não se torna uma necessidade conflitante. Acabamos cedendo a todas estas pressões sociais e assim terminamos esgotados, sem energia, nervosos e irritados. Pesquisas mostram um aumento considerável  do nível de estresse em dezembro entre os brasileiros.

Perceber este jogo social é o primeiro passo. Encontrar um espaço interno de re-alinhamento se torna impreterível. Providenciar um momento de paz e equilíbrio energético certamente traz benefícios únicos, impedindo que o estresse tome conta do nosso organismo debilitando nossas defesas imunes e nos tornando susceptíveis ao adoecimento. Acupuntura, moxabustão, desintoxicação alimentar, equilíbrio nutricional, meditação e silêncio podem ser um oásis no meio da loucura que toma conta da sociedade nesta época do ano.

Ninesh

Alimentação

Um círculo, um ciclo, uma volta. Completou.

Pesquisei, estudei, experimentei, experienciei. Conceitos, idéias, teorias, estudos científicos, dietas, posturas mais ou menos radicais, ativismos, tendências, modismos. Livros, congressos, internet, cursos, seminários, vivências e muito, muito fogão. Provei, literalmente, tudo.

O foco sempre o mesmo: a alimentação como a mais básica forma de bem-estar, como a primeira e essencial Medicina.

Parafraseando Carlos Drummond de Andrade: De tudo fica um pouco. Fica um pouco do sentimento pelos animais que me levou inicialmente ao vegetarianismo, fica a vivência com a energia da vida vibrando sutilmente nas sementes e nos grãos germinados que me aproximou dos crudívoros, fica a potência da bomba energética do suco vivo cheio de vitaminais e micronutrientes que adotei pra sempre, fica a emoção de ver a abundância da vida brotando e se doando nos brotos suculentos de girassol, fica o carinho no estômago/intestino da papa de arroz macrobiótica, fica o nabo com shoyu e suas intensas significâncias que remetem ao vislumbre do Satori.

Tantas coisas relevantes! A importância da mastigação, o uso dos fermentados e probióticos, a função primordial da flora intestinal, o desastre do uso na alimentação do açúcar refinado e das farinhas brancas, a delícia da produção do próprio pão integral sem conservantes. Tantas coisas que acabaram gerando um corpo de conhecimento único baseado na minha própria experiência e estudos.

E como num grande círculo me encontro de novo com a alimentação proposta pela Medicina Tradicional Chinesa no estudo dos padrões energéticos individuais. Fecha o círculo na certeza da consistência das suas bases.

Agora é hora de compartilhar.

– Ninesh – 

Programa Alimentar em 5 Fases

img_five-elementsCinco elementos, cinco cores, cinco sabores, cinco sentimentos, cinco Zang (Órgãos). A teoria dos Cinco Movimentos – Wu Yun, base da Medicina Chinesa, representação arquetípica das conexões entre tudo o que existe. Cinco.

Cinco são as fases do nosso Programa Alimentar. Começamos com uma limpeza, quase como se fosse um peeling do intestino, eliminando parasitas e fungos e restringindo os alimentos que irritam e intoxicam. Permitimos uma regeneração das microvilosidades intestinais, protegendo o tubo digestivo com alimentos que nutrem e não danificam a mucosa. Acrescentamos alimentos que tonificam a energia base da raiz, do Shen (Rins). Abordamos os fatores patogênicos como Umidade/Mucosidade, tanto com orientações dietéticas e higiênicas como no tratamento com acupuntura e moxabustão. Orientamos como poupar ao máximo a energia nova que está sendo progressivamente consolidada. Acrescentamos alimentos estruturantes e nutritivos, assim como fornecemos as bactérias benéficas para repovoar o intestino. Finalmente entram os brotos, germinados e sementes acordadas e toda a Vida que eles representam, mudando substancialmente a qualidade da energia que absorvemos como alimento. Ao fim do processo um novo Normal é descoberto e a alimentação se torna uma fonte de prazer ao perceber os benefícios causados ao organismo funcionando mais harmonicamente.

E neste processo todo certa “mágica” acontece: observar o próprio organismo, ficar atento para as reações sutis do corpo, preparar o próprio alimento, sentir a presença que acontece junto com uma atenção plena. Só experienciando…

O convite está aberto.

– Ninesh –