Conexão interior

vazio_1

 

Quando estamos bem com nós mesmos, a vida flui mais leve. Percebemos o natural processo de mudança e fluxo constante que caracteriza a Vida e não mais batalhamos para moldar os acontecimentos de acordo com a nossa visão do que seria mais conveniente. Aceitar nossos limites, enxergar nossos entraves, perceber nossa força. Engravidar de si. Um processo que precisa de atenção, cuidado e espaço. As sessões de acupuntura e meditação têm também este papel. Ao mesmo tempo que atuam equilibrando, limpando, colocando nossa energia num fluxo mais harmônico, fornecem o espaço e o momento necessários para favorecer esta conexão interior.

 – Ninesh – 

 

Anúncios

Na corda bamba das emoções

IMG_3712

 

Muitas vezes somos reféns de nossas emoções. Costumamos aceita-las melhor quando nos sentimos alegres ou apaixonados, mas quando a outra cara da moeda se mostra, não gostamos de ser tomados por desequilíbrios passageiros e assim mergulhar em estados de irritabilidade, nervosismo, impulsividade, agressividade, raiva ou frustração.

Para a Medicina Chinesa o Zang (órgão) que cuida do aplainamento das emoções é o Gan (Fígado). Regula a circulação do Qi (Energia), assegurando o fluxo suave do Qi por todo o organismo. Cuida também da regulação do sistema endócrino e dos hormônios, que indiretamente também jogam um papel importante no equilíbrio emocional.

A principal ação da acupuntura é regular as funções internas: equilibrar é a palavra chave. Diminui as alterações da homeostase que estão exageradamente hiperativas e aumenta quando existe deficiência, mediante a liberação de serotonina e dos peptídeos opióides (beta-endorfina, meta-encefalina, e dinorfina), entre outras substancias.

Nosso equilíbrio emocional depende então de um conjunto de fatores neuroendôcrinos, químicos, energéticos, mas principalmete da forma como interpretamos e reagimos as diversas situações do cotidiano. Conhecer a si mesmo, acessar o silêncio interno que nos conecta com a serenidade e a clareza, permite viver a vida de uma forma mais harmônica. Benefícios de fazer um tratamento integral onde acupuntura, moxabustão, massagem, alimentação e meditação se complementam harmonicamente.

– Ninesh – 

Estresse no Final do Ano

tumblr_lcv92oUDck1qawdxmo1_500

Todo ano a história se repete. Chega esta época e o trânsito fica infernal, uma multidão se aglomera nas calçadas, os shoppings, lojas e supermercados  lotam, as pessoas ficam impacientes. Convites para confraternizações, metas no trabalho para cumprir antes do ano acabar, gastos extras, crianças de férias, conflitos familiares exacerbados, discussões sobre onde e com quem passar o Natal, comilanças, excessos de álcool. Um verdadeiro caos.

Para piorar ainda mais, nos consumimos no balanço autocrítico do que queríamos ter feito no ano que passou e que nem chegamos perto. Para os solitários, o peso de ver todo mundo aparentemente feliz nesse mundo plastificado e irreal vendido como um produto de Natal. Ausências de seres queridos que se foram acrescentam um desconforto extra as comemorações. A sensação de estar fora do padrão cria um estresse opressivo.

As obrigações sociais se impõem. O consumismo cobra seu preço. Dizer sim quando queremos dizer não se torna uma necessidade conflitante. Acabamos cedendo a todas estas pressões sociais e assim terminamos esgotados, sem energia, nervosos e irritados. Pesquisas mostram um aumento considerável  do nível de estresse em dezembro entre os brasileiros.

Perceber este jogo social é o primeiro passo. Encontrar um espaço interno de re-alinhamento se torna impreterível. Providenciar um momento de paz e equilíbrio energético certamente traz benefícios únicos, impedindo que o estresse tome conta do nosso organismo debilitando nossas defesas imunes e nos tornando susceptíveis ao adoecimento. Acupuntura, moxabustão, desintoxicação alimentar, equilíbrio nutricional, meditação e silêncio podem ser um oásis no meio da loucura que toma conta da sociedade nesta época do ano.

Ninesh

Expressão Genética muda com a Meditação

meditation

Com evidência crescente de que a meditação pode ter efeitos benéficos para a saúde, os cientistas têm procurado compreender como estas práticas afetam fisicamente o corpo.

Um novo estudo realizado por pesquisadores em Wisconsin, Espanha e França relata a primeira evidência de alterações moleculares específicas no corpo após um período de meditação “mindfulness” (atenção plena).

O estudo investigou os efeitos de um dia de prática intensiva de meditação em um grupo de meditadores experientes, em comparação com um grupo de indivíduos controle inexperientes que se engajaram em atividades tranquilas mas não-meditativas. Após oito horas de prática, os meditadores mostraram uma gama de diferenças genéticas e moleculares, incluindo alterações dos níveis de mecanismos genéticos de regulação e níveis reduzidos de genes pró-inflamatórios, que por sua vez se correlacionaram a uma recuperação física mais rápida a uma situação estressante.

Os autores observaram que as alterações acontecem em genes que são os atuais alvos de medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos.

Para ler o artigo original clique aqui

 – Ninesh – 

Benefícios da Meditação sobre o Estresse

MorningMeditation

Meditar por meia hora todos os dias ajuda a aliviar sintomas de ansiedade e depressão, foi a a conclusão do mais recente estudo publicado pelo  JAMA (The Journal of the American Medical Association).

“Um grande número de pessoas recorre à meditação, mas esse exercício não é considerado parte de alguma terapia médica. A nossa pesquisa mostrou, porém, que a prática parece aliviar os sintomas da ansiedade e depressão tanto quanto os antidepressivos em outros estudos”, diz Madhav Goyal, professor da Universidade Johns Hopkins e coordenador do trabalho.

Eles constataram que a meditação “mindfulness”,  conhecida como “de plena consciência” ou “atenção plena” e que consiste em concentrar a atenção no momento presente, sem julgamento, mostrou-se particularmente efetiva para reduzir ansiedade, depressão e dor.

“Os médicos devem estar cientes de que a meditação pode resultar na redução das consequências negativas do stress psicológico. Assim, eles devem estar preparados para falar com seus pacientes sobre o papel que um programa de meditação pode ter para enfrentar o estresse psicológico”, concluíram os pesquisadores. .

O artigo é uma revisão sistemática e metanálise de 75.3 18 citações e foram incluídos 47 trabalhos clínicos com 3.515 participantes.

Para ler o artigo original clique aqui

.– Ninesh –